STJ reconduz presidente do Pros, que deve manter candidatura ao Planalto

De volta ao comando da legenda, Marcus Holanda defende o lançamento do nome próprio na sucessão presidencial, Pablo Marçal

O ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Antonio Carlos Ferreira, decidiu na quarta-feira (3) devolver o comando do Pros ao perito aposentado da Polícia Civil Marcus Holanda, que foi eleito para o cargo em julho de 2022. Holanda é da ala favorável à candidatura própria a presidente, tendo conduzido a convenção que homologou o nome de Pablo Marçal no domingo (31).

Imagem: Reprodução/YouTube
Imagem: Reprodução/YouTube

No mesmo dia, o vice-presidente do STJ, ministro Jorge Mussi, havia concedido a liderança da legenda a Eurípedes Júnior, fundador do partido. Na decisão, ele disse que não viu provas suficientes para justificar a saída do político do posto em março, quando o Tribunal de Justiça do Distrito Federal (TJDFT) destituiu Eurípedes da presidência do Pros e legitimou a reunião partidária que elegeu Holanda.

Na decisão de quarta, Ferreira considera os argumentos apresentados pelo vice-presidente da corte, mas afirma que a ação carece de análise pelas instâncias iniciais. Assim, o STJ ainda não teria competência para apreciá-las.

No período em que ficou à frente da sigla, Eurípedes Júnior reabriu a discussão interna sobre a estratégia eleitoral e convocou uma nova convenção para esta sexta-feira (5). A sinalização é de apoio, já no primeiro turno, ao candidato do PT, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Após a nova decisão judicial na quarta, Marcus Holanda afirmou em nota que a medida abre espaço para “continuar o planejamento de recriar o partido com seriedade e transparência dando oportunidade para mais de 1500 candidatos em todos os cargos, inclusive o de presidência da República com Pablo Marçal”.  Fonte: site Metrópoles

Deixe seu comentário